2 – A separação

      Depois de muitos anos de convivência, partilha e cumplicidade, certo dia, de Verão, com a semana quase a chegar ao fim, os pais da Catarina preparavam-se para viajar para Lisboa, com a perspetiva de aceitar uma proposta de trabalho que ninguém seria capaz de recusar. Essa notícia caiu como uma bomba para o Diogo que não estava preparado para a receber. Sendo Catarina a sua melhor amiga, ele não conseguia imaginar a sua vida sem a companhia dela.

      Furioso e muito triste, não queria aceitar a partida da amiga e não sabia como fazer para superar a falta que ela ia fazer na sua vida. Os dois andavam sempre juntos, levavam uma vida muito agitada e, ao mesmo tempo, muito tranquila, uma vez que passeavam, brincavam, estudavam e trocavam ideias. Eles eram mais do que simples amigos: bastava um olhar ou um gesto para que um sentisse o que o outro desejava ou sentia.

      Com a terrível noticia, Diogo decretou aos pais que queria ir para Lisboa juntamente com a família da Catarina, mas não resultou porque eles não tinham condições. Os pais do Diogo tentaram acalmá-lo e fazê-lo aceitar a ideia, propondo-lhe um passeio para onde ele quisesse, desde que fosse no país. Mas ele não quis nada porque estava muito aborrecido, sem saber o que fazer para impedir a partida da amiga.

Com a aproximação do dia da partida, Diogo começou a aceitar a ideia e resolveu fazer uma grande festa de despedida para ela com tudo o que a amiga tinha direito. Diogo partilhou a ideia com os pais que lhe deram todo o apoio e a ajuda necessária para a sua realização. Começou a correria e a agitação para a preparação da grande festa.

      À tarde, antes da viagem, Diogo foi à casa da amiga, inventando uma desculpa qualquer para a levar à festa surpresa. Chegados lá, Catarina ficou surpresa e emocionada. Agradecendo ao amigo, fizeram promessas um para o outro.

      – Diogo, há certas coisas na vida que devemos entender e aceitar. Não é a distância que vai enfraquecer a nossa amizade. Vou sentir muito a tua falta e vou lembrar dos momentos que passámos juntos, das brincadeiras e dos passeios que fizemos. Emocionado, com as palavras da amiga, Diogo pôs-se a chorar e disse:

      – Catarina, prometo tudo fazer para que a nossa amizade supere essa distância e, quando regressares, ela estará forte que dantes.

      E, com esta promessa, Catarina parte aos dezasseis para Lisboa, deixando o Diogo sem chão.

Praia, 18/5/12

Autores: Queila Tavares, Keinira Moreno, Eline Martins e Deise Furtado

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s