Flávia Pereira de Barros

Resumo do livro “alguns homens, duas mulheres e eu” de Maria do Rosário Pedreira.

Este livro conta a história de uma mulher que mora sozinha. A história começa com uma ceia de Natal em que a família reúne para celebrar o Natal, esta família é constituída pelo pai, mãe e quatro filhos, todos os filhos moram nas suas casas e raramente visitavam os pais e uns aos outros, de tanto afastado que se encontravam os irmãos compraram o mesmo presente para a mãe. A mãe sempre que falava com os filhos dizia que gostaria muito de ter um casaco de malha azul. A personagem principal deste romance é muito amiga da mãe e não dava muito bem com o pai, que este sempre que recebia presente no Natal não os abria e ia cedo para a cama sem participar da ceia.

A personagem principal mora no seu apartamento sozinha, tinha um amante, mas durante todo o desenrolar do romance conta a história da sua vida que teve com outros homens que foram muito importantes na sua vida, conta como foi é que se conheceram, os momentos bons que passaram juntos e também como é que vieram se separar. O seu amante actual, ela diz não amar, mas este mesmo assim continuou com ela, até que um dia veio deixá-la.

Também tem um outro homem importante na sua vida, o grego, que é como se fosse um psicólogo porque ela falava dos seus problemas, com os amantes, com a família e também dos sonhos que costumava ter com a avó que já faleceu, mas que ela nunca esquecera e que sempre estava presente na sua memória, a sua avó foi muito importante para ela durante a sua infância e que depois de crescida sempre recorda das férias que passara ao lado dela. Ela tem dois grandes amigos, também muito importantes na sua vida, um destes amigo ela gostaria que fosse mais do que uma simples amizade, mas nunca passou disso.

O título do livro é alguns homens, duas mulheres e eu, porque a personagem principal tem alguns homens importantes na sua vida que fala ao longo do romance, as duas mulheres é a sua mãe e a sua avó.

Postada em 09/05/13 por Jassica Fernandes
Post de leitura nº1

Resumo do livro “O crime do Padre Amaro” de Eça de Queirós.

Breve bibliografia de Eça de Queirós, nasceu na Póvoa de Varzim, em 1845. Formou-se em Direito, em Coimbra, onde se associou ao grupo vanguarda de Antero de Quental, ficando de fora da Questão Coimbrã.

O seu ingresso na carreira diplomática vai ter influência na sua obra e afirmar o seu cosmopolitismo. Ele morreu em 1900.

É um romance que conta a história de um padre “Amaro”, ele estudou padre porque a sua mãe e o seu pai trabalhavam na casa de uma marquesa, os pais e a marquesa eram amigos e quando eles morreram Amaro tinha seis anos. Ele ficou aos cuidados da marquesa que tinha uma grande amizade por ele, a marquesa era muito religiosa e sempre com grandes cuidados na educação de Amaro decidiu que ele iria ser padre. A marquesa veio falecer, deixando um testamento onde dizia que Amaro entrasse aos quinze anos no seminário e se ordenasse. Os anos passaram-se e Amaro havia tornado Padre e foi exercer a sua função numa pequena aldeia de Portugal (Leiria). Nesta aldeia ele hospedou-se na casa de uma senhora muito religiosa que tinha uma filha chamada Amélia de 23 anos, esta bastante simpática e religiosa como a mãe.

Logo no primeiro dia o Padre Amaro e a Amélia deram-se bem, daí viam-se todos os dias, conviviam muito principalmente á noite porque todas as noites iam outros padres e amigas da mãe de Amélia jogar baralho, eles sempre jogavam juntos. Amélia tinha um namorado que era escrevente e ia também lá todas as noites e percebeu um clima entre o Padre e a sua namorada resolveu acabar com aquilo, escreveu um comunicado contra os padres que indiretamente atingia a sua namorada que nessa altura já estavam noivos. O comunicado foi um escândalo na cidade, o Padre Amaro resolveu procurar um outro lugar para morar, encontrou uma casa numa outra zona. Mas dias depois descobriu-se que o comunicado foi escrito pelo noivo de Amélia, e esta ao saber disso foi aconselhada a acabar com o noivado porque o rapaz não era de confiança, e assim ela fez.

O Padre Amaro e Amélia não conseguindo mais guardar dentro se si o sentimento que tinham um pelo outro resolveram entregar aos encantos da paixão mesmo sendo um pecado. A empregada de Amaro indicou-lhes uma casa onde podiam encontrarem-se sem ninguém suspeitar, a casa do sineiro, Amaro foi conversar com o senhor dizendo que precisava aconselhar uma moça para ver se esta tinha condição para se tornar freira, o senhor disse que sim, o sineiro tinha uma filha que era paralítica que não saia de casa e nem sabia ler, foi ali que Amaro teve a ideia de que a Amélia podia ir á casa do sineiro sem ninguém desconfiar, que ia ali para ensinar a menina a ler.

Como terminará a história do Padre Amaro e da Amélia?
Aguardem a próxima postagem.

Postado em 15/05/13, por Jassica Fernandes
Post de leitura nº 2

Resumo do livro “O crime do padre Amaro”

Amaro e Amélia passaram a encontrarem-se na casa da paralítica, mas esta não gostava da Amélia, e quando Amélia ia lá ela a xingava. Amélia sentia-se muito mal com aquela situação, mas a aceitava porque não tinha outro lugar para encontrar com o padre amaro. Passado algum tempo Amélia descobriu que estava grávida e não sabia o que fazer, foi aí que o padre Amaro foi pedir ajuda a um outro padre que tinha um relacionamento com a mãe da Amélia e este disse que levaria Amélia com ele passar férias numa outra cidade e lá ela dava a luz.

Quando a Amélia deu a luz, o bebe foi entregue a uma senhora que sempre matava as crianças que eram dadas para cuidar. Amélia teve complicações pós parto e acabou por morrer e Amaro mudou-se para Lisboa.

Postado em 23/06/13, por Jassica Fernandes

Post nº 3

 

 

Resumo de A Ferro e Fogo  de Josué Guimarães (1921 – 1986)

            A obra “A Ferro e Fogo” narra a história de Daniel Abrahão Lauer Schneider e sua família que vivia em condições miseráveis e aceitam uma proposta misteriosa de Grundling, para se mudarem para o Rio Grande do Sul. A história se passa durante a época do Império, durante e após a Guerra da Cisplatina. Eles se mudam para Real Feitoria de Linho Cânhamo trazidos pelo governo brasileiro, que havia prometido terras e animais para aquela e outras famílias estrangeiras pudessem se estabelecer. 

Quando Daniel e sua família já estão na fazenda se inicia a guerra da Cisplatina, ele descobre que as mercadorias armazenadas ali eram na verdade armas, e então uma tropa castelhana invade sua fazenda. Catarina, a esposa de Daniel, informa ao soldados que seu marido não se encontrava ali. Daniel fica escondido dentro de um poço durante meses para não ser descoberto.

Enquanto isso castelhanos e brasileiros continuaram com intensas movimentações. Grundling havia mentido para os soldados brasileiros informando que Daniel guardava as armas para os castelhanos. Grundling, enquanto a família de Daniel passava dificuldades, se divertia curtindo bebedeiras e prostitutas, até que um dia conhece Sofia, mulher com quem se casa e tem filhos.

Com o fim da Guerra da Cisplatina, Catarina e Daniel voltam para São Leopoldo com a família. Devido ao trauma da Guerra da Cisplatina, eles constroem um alçapão para dormir a noite em sua casa. Catarina decide se vingar de Grundling, e prepara um plano para matá-lo.

Ao chegar na casa dele descobre um homem com uma tristeza profunda devido a morte de sua esposa Sofia. Catarina desiste de matá-lo, uma vez que ele já estava sofrendo.

postado em 11/07/13, por Jassica Fernandes

pos nº 4

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s