“A Causa Secreta” – Machado de Assis

Nesta história entram três personagens, o Fortunato, o Garcia e a mulher do Fortunato Maria Luiza.

Fortunato conheceu Garcia num bar e ficaram amigos. Um dia o Fortunato convidou-o um jantar em sua casa, não aceitando desculpas por parte do amigo. Chegou domingo, o dia em que foi marcado o jantar, e ele foi a esse tal jantar e deparou com uma linda mulher, neste caso a Maria Luiza, a mulher do Fortunato e acabou por se apaixonar, mas viveu esse amor em segredo.

Fortunato propôs a Garcia que criassem uma casa de saúde, já que os dois entendiam de medicina. Garcia depois de certos recuos acabou por concordar com a ideia.

Tudo corria bem, estavam a atender e dar atenção aos pacientes, até que um dia Fortunato decidiu estudar anatomia e fisiologia e ocupava-se nas horas vagas de rasgar e envenenar gatos e cães. Como os guinchos dos animais atordoavam os doentes, mudou o laboratório para sua casa e quem passou a sofrer com tudo isso foi a esposa.

Um dia o Garcia, como já era de costume foi jantar à casa do Fortunato e encontrou com a mulher descendo da escada e perguntou-a pelo marido e a mulher respondeu que estava no seu escritório e foram juntos para lá.

Ao chegarem à porta viram o Fortunato com um rato preso às cordas a castiga-lo. A medida em que cortava uma das patas do animal, chamuscava-o ao lume, fê-lo até cortar todas as quatro patas e então deu conta de que estava a ser visto pela mulher e pelo amigo. Despistou-se alegando que o Rato o comera um papel importantíssimo.

A partir daquele momento a casa entrou num silêncio total, só se ouvia a voz da Maria Luiza a tossir sem parar. Por fim descobriram que ela possuía uma doença altamente infecciosa que a conduziu até a morte.

O Garcia, estando um instante só, com o corpo à sua frente, descobriu-a dando um beijo na testa e quando tentou dar mais um desatou-se a chorar desconsoladamente por ter sofrido amando essa mulher em segredo. O Fortunato estava à porta a presenciar e a saborear tudo sem ser visto.

 

A moral da história e que se um dia gostarmos muito de alguém e ela ou ela ser mulher de um grande amigo nosso não devemos tentar nada com essa pessoa, mesmo que seja muito doloroso para nós.

Nelcy Silva

24 De Maio de 13

Anúncios

One thought on ““A Causa Secreta” – Machado de Assis

  1. Eu não concordo com essa moral porque quando queremos algo temos de ir a fundo para o conseguir. Às vezes para conseguir uma coisa podemos correr o risco de perder uma outra em consequência por isso temos de avaliar se o que queremos alcançar é mais importante ou não que aquilo que corremos o risco de perder. Neste caso é bastante difícil pois seria escolher entre uma amizade ou aquilo que poderia ser um grande amor. Mas eu preferiria arriscar se fosse eu porque por mais bonita que seja a amizade, um grande amor é ainda mais valioso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s