O sol e o menino dos pés frio – “Um copo” – Matilde Rosa Araújo

Este capítulo fala de um senhor que trabalhava na oficina do vidro, que passava horas e horas na oficina fechado que era quente como o deserto não saia nem para ver o sol. Ele trabalhava até nas épocas da chuva o seu companheiro ia leva-lo o fogo para fazer o copo. O copo tinha cor do arco iris as vezes pensava que aquele copo iria matar a sede das pessoas, mas também ser quebrada. O homem levou o copo para casa á noite bebeu o vinho das videiras da terra, pousou o copo na mesa, com as mão grossas, e feridas a olhar tristemente pensando nas horas do trabalhos duro sem tempo para sorrir ao sol. Talvez pensava na máquina sem a sua existência e que um dia iria descansar. Depois os filhos a seguir a mulher com as suas mãos cansadas só de lavar a louça e a roupa, talvez também pensavam na máquina sem a sua existência.

 

Reflexão

Neste livro eu pode ver o valor do trabalho, porque tem pessoas que lutam que não tem um bom trabalho mas valoriza adora, e aprecia o que faz com esperança que algum dia muda para melhor.

Raquel Duarte

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s