Inspiração Poética

 
 
                                         
 “Mulher Cabo-Verdiana”
  Haja algo difícil!
Algo que mesmo chega a ser impossível.
Tanta beleza…
 Bela como a natureza.
Tanto brilho…
Que reflecte o rio
 
Haja algo complicado!
Algo que chega mesmo a ser um pecado.
 
Haja algo tão imponente,
Algo que chega mesmo a ser um presente.
Algo tão diferente,
Como a água nascente.
Tão inocente,
Que chega a enganar o coração da gente…
                                                             Autor: Janilson Semedo 
 
           “Amar”
Amar é ficar sem dizer nada,
E ficar sem saber como dizer algo.
Amar é viver,
Viver para crer,
Crer para saber,
Saber para deixar,
Deixar para encontrar,
Encontrar para amar.
Ame!
Mesmo que não saiba como expressar.
Mesmo que não saiba o que dizer.
Mesmo que não saiba o que fazer.
Ame!
Mesmo que não saiba ler.
Mesmo que não saiba Amar.
 
                                                    Autor: Janilson Semedo 

4 thoughts on “Inspiração Poética

  1. Muito interessante, primeiro valorizando a mulher Cabo-verdiana com palavras sábias e verdadeiras, depois falando do amor, que como todos sabem é um sentimento do qual falamos muito e entendemos pouco.

  2. Caro Janilson Semedo
    Li com bastante atenção as suas duas publicações o que achei-as muito interessante no caso do primeiro onde falas das nossas lindas mulheres, as Cabo-verdianas, a raça única possuindo uma beleza rara que se tomamos em conta as suas qualidades começando por falar ou comentar/descrevê-las não há espaço que chegue para colocarmos tantas qualidades que elas possuem.
    Falando da outra publicação isto é “Amar” tomando as corajosas palavras do Carlos Vieira só para complementar a falar um pouco mais de amor isso sobre o entendimento desse sentimento, queria dizer que por mais que se queira e se pense ser possível conhecer verdadeiramente o amor, na verdade isso não acontece. O amor surge entre duas pessoas, e para compreender o sentimento que essas duas pessoas podem nutrir era preciso conhecer em particular cada pessoa e todo o seu comportamento. O amor é aquele bicho de sete cabeças que nos aprisiona e nos mantêm reféns até não termos nem uma gota de amor no corpo.
    O amor é sobre sacrifícios, é sobre aceitar as ideias da outra pessoa, compreende-las e lutar por essas mesmas ideias ou então apresentar as nossas. É sobre amar e mostrar que se ama. É apoiar e mostrar-se que existe alguém presente. No fundo amor é a menor distância mas também a mais ténue entre duas pessoas.
    Quando acharem que descobriram ou entenderam o amor, desistam porque o vosso amor não tem mais brilho. O amor não se compreende, é como uma surpresa diária em que tudo pode acontecer sem estar-mos preparados que aconteça. O amor é também sofrimento, pois nem sempre é possível fazer com que outro coração transmita o mesmo sentimento que o nosso. O amor por vezes é parvo pelo facto de duas pessoas se amarem e não viverem o que cada um tem para dar ao outro. Mas é o amor.
    Entender o amor é crime, é como deixar de amar, porque o que se sente não se compreende, apenas se deixa mostrar. Por isso amem e sintam o mais forte que possam sentir, o sofrimento pode ser forte, mas é pior não ter sentido, na hora de partir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s